PROGRAMA CAD

Considerando que o valor das mercadorias é dado pelo tempo de trabalho socialmente necessário para produzi-las, em regra, e que a estes custos somam-se os custos com o transporte das mercadorias, podemos afirmar que a competitividade destas depende também da logística de distribuição. E considerando que a distribuição em nível global se dá por meio do transporte marítimo é verdadeiro enfatizar que a competitividade no mundo das mercadorias também depende das atividades portuárias. Por outro lado, estas atividades estão condicionadas ao acesso, sobretudo, dos navios aos portos e estes às profundidades de canais, berços (locais onde os navios são atracados) e bacia de evolução. Nesse sentido, é legítimo afirmar que a competitividade das mercadorias em nível global depende de portos cujo planejamento das atividades prioriza as dragagens dos sedimentos, aprofundando e mantendo os canais de navegação de forma integrada com o monitoramento do processo de sedimentação (assoreamento) destes canais.

Contudo, não convém buscar entender esse processo de assoreamento a partir do local de deposição de sedimentos, mas sim das áreas fontes. Como alternativa para estudos ambientais, sugere-se a utilização das bacias hidrográficas como unidades de intervenção, destacando-se como vantagem relevante a possibilidade de se identificar as relações de causa-efeito.

Nesta perspectiva surgiu o Programa CAD (Contaminantes, Assoreamento e Dragagem no Estuário de Paranaguá), o qual será apresentado no presente artigo, sendo contempladas as fases desde sua criação até o estágio atual de seu desenvolvimento, além das perspectivas de sua continuidade. Portanto, o objetivo do presente trabalho não é discutir os resultados técnico-científicos obtidos por meio do Programa CAD, os quais estão descritos em BOLDRINI et al . (2007) e BOLDRINI et al ., (2008) , mas apenas de organizar para o leitor as suas diferentes fases, sendo que os trabalhos relacionados à compreensão do processo de assoreamento da Baía de Paranaguá serão enfatizados.

Referências Bibliográficas

BOLDRINI, E. B.; SORAES, C. R.; PAULA, E. V. (Orgs.). Dragagens Portuárias no Brasil: Licenciamento e Monitoramento Ambiental.Antonina: Governo do Estado do Paraná; SEMA/PR; ADEMADAN; UNIBEM. 2007.

BOLDRINI, E. B.; SORAES, C. R.; PAULA, E. V. (Orgs.). Dragagens Portuárias no Brasil: Engenharia, Tecnologia e Meio Ambiente . Antonina: ADEMADAN; UNIBEM e MCT. 2008.

 

Como Apoiar
facebook-2048-black
fb-botao
Blog
Canal ADEMADAN
Canal ADEMADAN